9 – Jungle Tour – Passeio de Lancha (DIA 8)

Este era nosso último dia em Cancun (nossos amigos ficariam mais um dia), pois a tarde já tínhamos o transfer agendado para Playa del Carmem. Resolvemos, de última hora, fazer um passeio de lancha com snorkeling e, no fim, foi um dos passeios que mais gostamos.

Para aproveitar esta última manhã em Cancun pensamos em andar de jet ski ou parasail. O jet ski eu não estava muito a fim de fazer, mas o parasail eu morro de vontade de fazer e falaram que em Cancun é um dos melhores lugares para fazer porque a vista é maravilhosa. Infelizmente (ou não, pois acabamos fazendo um passeio super divertido) não tinha mais vagas para o parasail no primeiro horário da manhã e mais tarde não daria tempo por causa do check-out, etc.

Compramos o passeio com a Best Day (mesma empresa onde compramos os ingressos dos parques), mas acho que fomos enganados, pois pagamos U$ 65,00 por pessoa, sendo que um casal ficou em cada lancha. Depois conversamos com outros brasileiros que pagaram este valor por lancha e não por pessoa.

Bem, o passeio tem 2 hora de duração aproximadamente, então quando compramos os ingressos já agendamos nossos horários de saída… podia ser as 08:00, as 09:00, as 10:00…

Pegamos um ônibus público pertinho do nosso hotel e descemos na frente do hotel Marriot. Caminhamos um pouquinho até a Marina Sunrise, que fica na Lagoa Nichupté. Lá descobrimos que tínhamos que pagar uma taxa pela utilização, pois o local de mergulho fica dentro de um Parque Nacional. Não lembro o valor exatamente, mas era em torno de 7 dólares por pessoa.

Depois fomos nos preparar pegando os coletes, máscaras, nadadeiras e snorkel. O snorkel era descartável e bem ruizinho… recomendo levar o seu próprio snorkel ou o que você ganha no Xcaret.

A recomendação era não levar câmeras fotográficas na lancha, nem nada que não pudesse molhar (tem locker para guardar seus pertences), mas, além das nossas câmaras à prova d’água, levamos também o celular e no nosso caso foi bem tranquilo, não molhou nada.

Ah, quase me esqueço do mais importante: somos nós mesmos que dirigimos as lanchas. Então depois de pegar os equipamentos eles começam a dar algumas orientações de como pilotar a (mini) lancha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A lancha é toda controlada por uma única manivela, sendo que colocando a manivela pra frente você acelera e colocando pra trás você deixa de acelerar e o atrito com a água faz a lancha parar (não tem freio). No início a manivela é bem dura (eu precisava usar as duas mãos), mas depois fica bem sensível, ou seja, qualquer movimento você aumenta ou diminui rapidamente a velocidade da lancha.

DCIM100GOPRO

Tem mais algumas orientações para aumentar ou diminuir a velocidade. A ideia é todas as lanchas andarem juntas em fila indiana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Depois das instruções é hora de colocar a teoria em prática. Na ida marido foi dirigindo e na volta eu fui. Eu fiquei com um medinho, mas foi isso que deixou mais emocionante. Mesmo sendo uma lancha bem pequena e que não deve ter um motor muito potente (não entendo nada disso), a velocidade é alta (pelo menos era a sensação que eu tinha) a ponto de fazer a parte da frente da lancha levantar e também de fazer a lancha derrapar um pouco numa curva mais brusca.

DCIM100GOPRO

O mergulho (que durou uns 30 minutos) foi divertido, mas secundário, em minha opinião, neste passeio. Quem é praticante de apneia tem que se contentar em ficar todo o tempo com o colete salva-vidas.

Foi um passeio que nos surpreendeu positivamente!!

Anúncios

8 – Parque Xcaret (DIA 7)

O passeio programado para hoje era o parque Xcaret. Como disse no post anterior, nós compramos os ingressos do Xplor e do Xcaret juntos para negociarmos um preço melhor. Assim como o Xplor, no ingresso já estava incluso o translado hotel-parque-hotel.

Ah, o nosso ingresso era o Xcaret Plus, onde estava incluído o almoço. Vale à pena comprar o ingresso Plus, pois se for pagar o almoço à parte (U$ 29,00 ou 377,00 pesos) vai ficar mais caro e não tem como passar o dia inteiro lá sem uma boa refeição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um dos restaurantes do parque. Foi o que eu achei que tinha o ambiente mais gostoso, mas não comemos nesse, pois quando bateu a fome estávamos meio longe dele. Imagens: Tijolos & Tecidos.

O ingresso Plus também te dá desconto nas atividades extras (10%), que no parque Xcaret são várias: mergulho com golfinhos, sea trek, passeio de barco… Nós não fizemos nenhuma destas atividades, ficamos somente curtindo a beleza natural do parque.

ATRAÇÕES

Iniciamos o passeio direto com o rio subterrâneo. Enquanto no Xplor você nada por conta própria, no Xcaret você recebe nadadeiras, máscara e snorkel (no ingresso plus está tudo incluso, no ingresso simples eu não sei). Outra diferença é que no Xplor o rio é todo subterrâneo, enquanto que no Xcaret tem algumas partes abertas, o que torna o passeio mais interessante em minha opinião.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Entrada do rio subterrâneo com água muuuito gelada. Imagens: Tijolos & Tecidos.

Já que recebemos máscaras eu esperava ver muitos peixinhos no passeio, mas vimos bem poucos. Tem um momento que passamos do lado de um aquário gigante e aí conseguimos ver vários peixes e um peixe boi, só que com uma parede de vidro entre a gente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Depois fomos passear pelos aquários, para ver as tartarugas, as arraias e os peixes. Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O parque também tem outros animais, como araras, flamingos, jacarés… Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Fizemos também um passeio de jangada que é bem relax. É um momento realmente para curtir a natureza. Eu achei muito parado… não podia nem falar. Sério! Pediram para ficarmos quietos, hehe. Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Show aberto dos Voladores de Papantla, que acontece duas ou três vezes ao longo do dia, sobre a tradição pré-hispânica. Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Passamos o final do dia curtindo a praia que tem no parque. Imagem: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No mar tem algumas boias que podem ser usadas à vontade. Momento pra relaxar. Imagem: Tijolos & Tecidos.

Um dia é suficiente para aproveitar o parque se você não for fazer as atividades extras. Grande parte das atividades é extra e custa um bom dinheirinho.

TeT_xcaret_cancun_11_protetor_solar_biodegradavel

Neste dia compramos um protetor biodegradável, pois era a recomendação do parque para preservar a flora e a fauna da região. Imagem: Tijolos & Tecidos.

ALMOÇO

Como disse antes, o almoço estava incluso no ingresso do parque, mas tem a opção também de ingresso sem o almoço. Se não me engano são quatro restaurantes espalhados pelo parque e você pode escolher um deles para o almoço. Refrigerantes e sucos são livres e cada um pode beber uma cerveja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Nós estávamos em quatro pessoas e trocados as cervejas individuais por um desconto numa garrafa enorme de plástico de Corona, que meu amigo estava louco para comprar. Imagem: Tijolos & Tecidos.

SHOW NOTURNO

O show noturno foi dividido em duas partes. A primeira conta a história da invasão dos espanhóis e sobre o jogo de bola, que eu comentei no post sobre Chichén-Itza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A parte do jogo de bola achei meio cansativa, pois é muito repetitiva, mas a parte da colonização do México eu adorei. Viajar é a melhor maneira de conhecer a história de um lugar, né? “Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro” (Martha Medeiros). Imagens: Tijolos & Tecidos.

TeT_xcaret_cancun_14

Imagem: Tijolos & Tecidos.

TeT_xcaret_cancun_15

Depois tivemos que mudar de local para a segunda parte do show. Esta segunda parte mostrava as danças e tradições de várias partes do México. Foi muito interessante, mas também um pouco cansativo, até porque já eram quase 10 horas da noite. Mesmo assim acho que este show é imperdível (se você vai de excursão, existe a opção de voltar para o hotel antes ou depois do show). Imagem: Tijolos & Tecidos.

Ah, não esqueçam  de levar uma muda de roupas para o show. Antes do show noturno tomamos banho e colocamos uma roupa seca.

7 – Parque Xplor (DIA 6)

À noite anterior foi de balada, mas isso não nos impediu de acordar cedo para aproveitar o dia no parque Xplor.

TeT_parque_xplor_1No dia anterior tínhamos comprado as entradas dos parques Xplor e Xcaret. Como eu já tinha comentado, compramos os ingressos com a empresa Best Day no hall do nosso hotel mesmo.  Pagamos 198 dólares por pessoa para os dois parques, onde estava incluso o translado hotel-parque-hotel. Foi o mais barato que encontramos após termos pesquisado em vários lugares.

Eu não tinha lido muito sobre o parque, só sabia que tinha várias tirolesas e era um parque mais aventura. Chegando lá a primeira coisa a fazer é pegar os capacetes, que são obrigatórios por todo o parque.

O parque dispõe de câmeras fotográficas estrategicamente localizadas, que vão registrando tudo o que você faz. Cada capacete tem um número e um chip que vão servir para você identificar as suas fotos no final do dia. Nós levamos máquinas fotográficas à prova d’água, então acabamos não comprando as fotos, mas lembro que não achei o preço tão absurdo (como normalmente é nestes lugares), já que você compra um pacote com váárias fotos. Se você vai em grupo, o preço por pessoa vai diminuindo.

Depois de pegar os capacetes fomo trocar de roupa e deixar tudo o que não usaríamos durante o dia dentro dos lockers, que são gratuitos. Passamos o dia inteiro molhados, então não dá pra levar máquinas fotográficas que não sejam à prova d’água, celular… ou qualquer outra coisa que não possa ser molhada.

Passei o dia todo de biquíni, shorts e havaianas. Não senti necessidade nenhuma de comprar a sapatilha de borracha que eles vendiam lá.

ATRAÇÕES

É um parque de aventuras, então quase todas as atrações exigem certo preparo físico (não é bom para crianças muito pequenas ou pessoas mais velhas).

As atrações do parque são as tirolesas, os rios das cavernas subterrâneas e uma trilha que você faz com um jipe que eles chamam de carro-anfíbio.

TeT_parque_xplor_2_tirolesa

Começamos os passeios nas tirolesas. São dois circuitos de tirolesa (fizemos só um deles) com umas 6 ou 7 tirolesas, sendo que algumas terminam dentro d’água.

TeT_parque_xplor_3_tirolesa

Praticamente não pegamos fila e achei tudo bem organizado, assim como o parque todo, e seguro. Os funcionários ajudavam sempre para prender e soltar o seu cinto na tirolesa.

Já que estávamos molhados fomos fazer os passeios nas cavernas subterrâneas. Tem um passeio que você vai remando numa espécie de jangada e no outro passeio você vai nadando. Para estes passeios existem dois caminhos para cada, um mais curto e outro mais longo.

TeT_parque_xplor_4_caverna_subterranea

Primeiro fizemos o passeio nadando… a água é suuuper gelada. Se o dia estivesse frio não sei se eu conseguiria entrar.

TeT_parque_xplor_5_caverna_subterranea_jangada

O passeio de jangada é meio desconfortável. Você deve colocar uma espécie de luva que funciona como remo, só que como este remo-luva é bem curto, você precisa ficar curvado para alcançar a água.

Mesmo sendo desconfortável e frio eu adorei os passeios dentro da caverna. As cavernas, com as estalactites e estalagmites, são lindas. São poucos os lugares com a oportunidade de ver estas formações rochosas. Também vimos alguns morcegos bem pequeninhos dentro das cavernas.

É muito gostoso poder interagir assim com a natureza, mas ficamos um pouco preocupados com a preservação do local, pois é inevitável não esbarrar nas estalactites e nas estalagmites com a jangada.

TeT_parque_xplor_6_carro_anfibio

Deixamos para fazer a trilha com o carro-anfíbio no final, depois de almoçar, quando já estavam mais cansados, já que é a atração que menos exige esforço. Eu gostei do passeio de jipe, mas não adorei.

TeT_parque_xplor_7_carro_anfibio

COMES E BEBES

No valor do ingresso também estava incluso as comidas e bebidas. Sucos e bolachinhas estavam disponíveis em alguns quiosques espalhados pelo parque. Já o almoço era servido num quiosque maior, perto da entrada do parque.

Eu adorei as comidas do parque!! Eu estava numa fase tentando ser mais saudável, então foi ótimo encontrar uma grande variedade de sucos naturais e comidas mais leves.

Nos quiosques os sucos tinham nomes divertidos (eu bebi o suco estalactite) e eram bem diferentes. Para comer só vi (só fomos a um quiosque) bolachinhas de aveia bem gostosas.

No almoço tinham mais outros sucos diferentes, além de cada alimento no buffet conter o número de calorias e nutrientes.

TeT_parque_xplor_8_sucos

No almoço comi muito ceviche, mas também tinha comidas típicas mexicanas…

TeT_parque_xplor_9_ceviche

Bem, eu adorei o passeio: beleza natural, adrenalina, diversão, comida boa… tudo!

6 – CoCo Bongo (DIA 5)

Tínhamos programado no dia anterior que este seria um dia para descansar e aproveitar o hotel, pois à noite iríamos para a CoCo Bongo e queríamos estar bem dispostos, já que não temos mais tanta energia assim.

Aproveitamos para acordar mais cedo e tomar um café da manhã com calma (nos outros dias foi bem corrido, por causa dos passeios). Depois disso a programação incluía piscina e praia, maaaas o dia estava horrível. Muita chuvamuito vento, não dava nem pra ficar do lado de fora do hotel. Na televisão só passava sobre a previsão do tempo e qual seria o caminho da tempestade. Será que teria furacão?

O hotel ficou lotado e os funcionários começaram a criar atividades para distrair os hóspedes. Nós passamos boa parte do dia conversando e bebendo. Aproveitamos também para negociar os passeios no hall do hotel. Nós estávamos preocupados com a previsão do tempo nos próximos dias, mas o pessoal que nos vendeu os passeios (Best Day) nos garantiu que no dia seguinte o tempo iria melhorar. Nós tínhamos nossas dúvidas, mas eles estavam certos. Não sei se isso vale para todas as agências, mas, caso o tempo não melhorasse, eles disseram que poderíamos trocar o dia do passeio ou pegar o dinheiro de volta.

Acho que muita gente deve ter aproveitado este dia para fazer compras em algum shopping, mas como íamos para o Panamá e nossos amigos iam para Orlando, não tínhamos planos de fazer compras em Cancun.

COMPRANDO OS INGRESSOS

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

CoCo Bongo. Imagens: Tijolos & Tecidos.

Nós queríamos ir na CoCo Bongo numa data específica, que era numa 5ª feira, pois nosso amigos estavam de aniversário naquele dia e queríamos ir no camarote. Fomos comprar os ingressos na 3ª feira à noite na própria CoCo Bongo e já não tinha mais vagas para o camarote. 5ª, 6ª e sábado, além de serem os dias mais cheios, são os dias mais caros. Em minha opinião, quem é turista e vai lá para curtir o show, é melhor ir num dia mais vazio (e mais barato).

Acabamos comprando uma opção intermediária entre o camarote e a pista, mas saiu somente um pouco mais barato que o camarote. O que nós compramos foi o direito de usar uma mesa e para isso, além do ingresso normal da pista, tínhamos que comprar uma garrafa de bebida (tequila Don Julio). No final custou 131 dólares/pessoa e no camarote teria custado 150 dólares.

Como o palco da CoCo Bongo é elevado, quem está no camarote fica no mesmo nível que o show ocorre. Quem está na pista fica na parte mais baixa. O nosso local era um meio termo entro os dois, então no fim eu achei que valeu a pena, pois não era tão apertado, não tinha que levantar muito a cabeça e porque foi mais barato que o camarote.

Ah, nós compramos o ingresso na CoCo Bongo mesmo, mas vi pra vender em tudo o que é lugar. Não pesquisamos, então não sei dizer se os preços são diferentes ou não.

Enquanto negociávamos os ingressos, eles nos ofereceram umas cervejas. Antes de ir embora, queríamos pegar mais umas, mas eles falaram que não podiam, pois é proibido beber na rua… sorte que eles nos avisaram, pois não sabíamos disso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Máscara pedindo propinas para quem queria bater fotos com eles. Imagens: Tijolos & Tecidos.

COCO BONGO

Chegamos na CoCo Bongo mais ou menos 1 hora antes do show começar (a recomendação era chegar cedo) e a fila andou bem rapidinho (a nossa fila era a mesma fila do camarote e diferente da fila da pista). Um funcionário nos acomodou na mesa e trouxe nossa tequila e complementos (sal, limão e copinhos).

Além da garrafa de tequila que tínhamos comprado, podíamos beber todas as outras bebidas do bar (acho que quem está no camarote tem mais opções). Nossa mesa era perto do bar, então eu sempre descia para pegar, nem pensei em pedir para o garçom, mas acho que se pedisse eles iriam gostar de uma propina. Tinha um certo empurra-empurra para chegar no bar, mas nada insuportável.

Falar que a CoCo Bongo é uma balada é pouco. A CoCo Bongo é um show! Na verdade são vários shows, uma mistura de Broadway com Cirque du Soleil. As músicas são muito divertidas, desde os clássicos, até as músicas da modinha.

TeT_coco_bongo_cancun_3_show

Palco da CoCo Bongo… quase não batemos fotos lá dentro e as poucas que temos ficaram bem ruinzinhas. Imagem: Tijolos & Tecidos.

A noite passou rápido. Os shows acabaram pouco depois das 3 da manhã e logo depois fomos embora (a pé, já que o hotel era bem pertinho), mas acho que a balada deve continuar por mais um tempinho depois, porque muita gente continuou lá.

MUY RICO

Durante a noite aconteceu um episódio engraçado com meu amigo: Tem umas mulheres que passam oferecendo tequila. Quando uma ofereceu, ele aceitou, aí ela mostrou a plaquinha de que o shot de tequila custava U$ 5,00 e ele não quis mais. Pra que pagar se as outras bebidas já estão inclusas, né? Ela insistiu falando: “Muy rico”. E ele, como não entende nada de espanhol, falou: “Não sou rico, sou brasileiro”… pra quem não sabe, muy rico significa muito gostoso em espanhol.

Vale muito a pena ir, mesmo se você não é uma pessoa de balada!!

5 – Isla Mujeres (DIA 4)

Para este passeio também optamos em ir por conta própria, ou seja, sem excursões e foi tudo bem tranquilo.

FERRY BOAT: PONTOS DE EMBARQUE E HORÁRIOS

Isla Mujeres é uma ilha que fica na frente de Cancun (a 6 km). Para chegar lá é preciso pegar um Ferry Boat, que pode ser pego em quatro lugares diferentes. Na área hoteleira tem três locais em que você pode pegar o ferry: Playa do Caracol, Playa Tortuga ou El Embarcadero. Fora da zona hoteleira o ferry pode ser pego em Puerto Juarez e a passagem é um pouco mais barata. Pergunte no hall do seu hotel qual ponto de embarque fica mais próximo de onde você está. Ah, e cada local tem seus horários de saída… não vou colocar aqui os horários, pois pode ser que eles mudem de tempo em tempo. O melhor é ver no site da empresa mesmo.

Nós fomos pegar o ferry na praia Caracol porque era do ladinho do nosso hotel, mas chegando lá eles falaram que o ferry só estava saindo da praia Tortuga (não sei se porque não era temporada alta ou se porque o mar era mais agitado por ali). Compramos os tickets do ferry ali mesmo e pagamos 20 dólares, apesar de ver no site da Ultramar que o trajeto custa 19 dólares. Tivemos que pegar um ônibus da praia Caracol até a praia Tortuga. Apesar de ser um ônibus público nós não pagamos o trajeto, mostrando o ticket do ferry… talvez por isso a gente tenha pago um pouco mais caro.

TeT_1_ferry_ultramar

Imagem.

Ah, e o trajeto dura alguns minutos e é bem tranquilo. Não vi ninguém passando mal, como eu tinha lido em outros lugares.

ALUGUEL DE CARRINHO DE GOLF

Assim que chegamos à ilha não pensamos duas vezes em alugar carrinhos de golf. Além de ser útil, por nos dar autonomia na ilha, é divertido, porque não é sempre que dirigimos um por aí, né?

Dentro do ferry eles te oferecem carrinhos de golf para alugar, mas não vale à pena, pois são mais caros. Quando nos ofereceram, nós perguntamos se não teria na ilha pra alugar e eles disseram que sim, mas que a qualidade não era tão boa, porque um era elétrico e o outro era a gasolina… não lembro qual era qual, mas eles estavam dizendo que o deles era melhor.

Desembarcando da ilha milhares de pessoas vêm te oferecendo os carrinhos para alugar e, como sempre, é preciso negociar. Nós alugamos o nosso carrinho na Rentadora Joaquin e realmente a qualidade não era dos melhores, todo mundo nos ultrapassava, mesmo com o pé no fundo do acelerador, mas, como não tínhamos pressa, estávamos tranquilo com isso. Pagamos U$ 38,00 pelo aluguel para o dia todo, mas também tinha a opção de alugar por hora.

TeT_2_carrinho_golf_isla_mujeres

Imagens: Tijolos & Tecidos.

Ah, levem a carteira de motorista, pois eles pedem. Pelo que nos falaram no momento do aluguel, a carteira não era uma exigência para dirigir, mas era uma segurança para a locadora no caso de multas.

PRAIA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Imagens: Tijolos & Tecidos.

Depois que pegamos o carrinho fomos andando até chegar ao final da ilha. Esperávamos que tivessem mais trajetos que desse para ver o mar, mas não era assim.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Imagens: Tijolos & Tecidos.

TeT_5_isla_mujeres

Aqui era uma parte que dava para ver o mar… e que mar! Esta tirolesa era do parque El Garrafón, que é um parque com uma estrutura bem grande, com redes, piscinas, jacuzzi, tirolesas… Existem vários pacotes, inclusive com a possibilidade de nadar com golfinhos. Numa próxima visita eu gostaria de conhecer! Imagem: Tijolos & Tecidos.

Durante nossa volta passamos pelo Delphinário, um dos muitos lugares da região de Cancun onde você pode nadar com golfinhos. Nós não fomos, pois já tínhamos nadado com golfinhos em outra viagem.

Depois de passar por toda a ilha escolhermos uma praia aleatoriamente (que eu não sei o nome), onde pagamos uns U$ 5,00 dólares por pessoa para entrar e usar as cadeiras e banheiros. A praia era bonita, com água quente, bem cristalina e bem calminha, mas não liiinda como imaginamos as praias do Caribe.

TeT_6_isla_mujeres

Imagem: Tijolos & Tecidos.

Depois pagamos mais um pouco para alugar os snorkels, máscaras e nadadeiras e ficamos um bom tempo vendo os peixinhos e outros bichinhos.

TeT_7_isla_mujeres_mergulho

Imagens: Tijolos & Tecidos.

A legenda das fotos agora é por conta do marido:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anêmonas e estrela do mar. Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Cyphoma gibbosum. Imagem: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Cocorocas e um cirurgião azul (1). Peixe lagarto (Synodus synodus) (2). Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Imagem: Tijolos & Tecidos.

ALMOÇO

Almoçamos no restaurante do próprio local e adoramos. Estávamos em quatro pessoas e cada uma pediu um prato e bebidas. Pedimos comidas típicas mexicanas e tudo estava uma delícia. Achamos o preço bem bom (U$ 50,00, no total), ainda mais para uma ilha.

TeT_12_isla_mujeres_comida_mexicana

Imagem: Tijolos & Tecidos.

CENTRINHO

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No centrinho de Isla Mujeres tem vários restaurantes e várias lojinhas. Imagens: Tijolos & Tecidos.

TeT_14_isla_mujeres_artesanato

Ahhh, sou apaixonada por estas louças. Compramos quatro travessas, destas que podem ser colocadas dentro do forno, por U$ 55,00. Imagens: Tijolos & Tecidos.

O passeio foi muito gostoso. Vale a pena ir por conta própria. Vale a pena alugar um carrinho de golf. Vale a pena conhecer o artesanato local. Para a próxima visita vai ficar o parque El Garrafón.

4 – Indo para Chichén-Itza de Carro (DIA 3)

COMPRA DE PASSEIOS E ALUGUEL DE CARRO

Antes de comecar a falar da ida à Chichén-Itza queria falar sobre a compra de passeios. Pessoas vão te oferecer passeios o tempo todo. No hall do hotel (Riu Cancun) tem umas quatro agências fazendo isso. No shopping na frente do hotel também. Nas ruas também.

A melhor maneira para conseguir um bom desconto nos passeios é negociar bastante. Comprar mais de um passeio ao mesmo tempo ajuda e estar num grupo maior de pessoas também.

Conseguimos o melhor preço com a Best Day, que foi a empresa que fez o meu transfer do aeroporto para o hotel. Negociamos os preços no hall do hotel mesmo.

IDA DE CARRO À CHICHÉN-ITZA

Antes de viajar li algumas dicas de que valia a pena alugar um carro e ir por conta própria ao invés de comprar um passeio. Os comentários diziam que os passeios com excursões eram muito rápidos e que você tinha pouco tempo para conhecer o local.

Já que estávamos em 4 pessoas optamos por alugar um carro e ir por conta própria. O nosso objetivo era sair bem cedo para chegar antes das excursões. Valeu à pena ir de carro? Eu acho que não.

Acabamos alugando o carro somente pela manhã. O stand da Alamo abria as 08:00, mas até acertar tudo, fazer a vistoria do carro, acabamos saindo as 09:00. O valor do carro mais barato era de 51 dólares. Negociamos e conseguimos pagar este preço por um carro 1.6 (Voyage).

Existem duas estradas para ir para Chichén-Itza. Uma que é via rápida com pedágio e outra mais lenta, sem pedágio. A ideia era pegar a sem pedágio (indicação da loja de aluguel de carro), mas nos confundimos e pegamos a com pedágio. São dois pedágios, um de 251 pesos (20 dólares) e outro de 68 pesos (6 dólares). Você pode pagar em pesos ou em dólares. Alias tudo pode ser pago em dólar, ou melhor, quase tudo, teve um único lugar na viagem toda que eles não quiseram aceitar dólar, que eu vou falar depois.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pedágio na autopista de Cancun para Chichén-Itza . Imagem: Tijolos & Tecidos.

Logo após o primeiro pedágio tem um posto de “informações turísticas”. Acabamos parando lá e compramos um pacote para entrar no parque e que incluía o almoço (sem bebida) e o estacionamento que custou 32 dólares por pessoa. Se nós não tivesses comprado este pacote os preços seriam os seguintes: entrada do parque por 13 dólares, almoço por 169 pesos e estacionamento por 150 pesos (por carro). Teria saído mais barato.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Posto de Informações Tutísticas no caminho para Chichén-Itza. Reparem que tinha um adesivo do Trip Advisor. Imagem: Tijolos & Tecidos.

A viagem foi tranquila, mas cansativa, com 3 horas de duração (200 km de Cancun). Chegando no parque eles nos ofereceram guias e acabamos não contratando. Me arrependi de não termos contratado, porque só dá para entender bem o local com as explicações dos guias.

Eles começaram oferecendo guias para 2 horas e depois por 1 hora pelo custo de 9 dólares por pessoa (estávamos em quatro).

A vantagem do passeio sem guias é que conseguimos conhecer o local de forma bem tranquila. Ficamos 3 horas por lá e depois fomos almoçar.

ATRAÇÕES EM CHICHÉN-ITZA

Em nosso passeio conhecemos a pirâmide de Kukulcán (também conhecida como El Castillo – O Castelo, em espanhol).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pirâmide de Kukulcán. Imagem: Tijolos & Tecidos.

Na pirâmide de Kukulcán, construída pelos maias, povo que vivia na região antes da colonização espanhola, é possível observar os profundos conhecimentos de matemática, geometria, acústica e astronomia que os maias possuíam.

Cada lado da piramide tem uma escadaria com 91 degraus, que, somados como o patamar do topo, somam 365, representam os dias de um ano.

Ela é inclinada em exatamente 45 graus e tem os quatro lados voltados para os pontos cardeais (norte, sul, leste e oeste). O alinhamento da construção da pirâmide permite observar diversos fenômenos de luz e sombra, os quais ocorrem cada ano durante os equinócios e solstícios.

Assim, duas vezes por ano, sombras reproduzem a imagem de Kukulcán na escadaria Norte, a serpente emplumada.

TeT_4_serpente_emplumada_chichen_itza

Imagem da Serpente Emplumada. Imagem.

Na pirâmide também é possível observar um efeito acústico muito interessante. Se você bater palmas na frente da escadaria, o som do aplauso causa um eco distorcido (parece um passarinho).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Eu batendo palmas na frente da pirâmide. Imagem: Tijolos & Tecidos.

De modo a preservar a pirâmide, não é possível subir nela. Mas li que em Cobá (perto de Tulum) é possível subir numa pirâmide.

Em Chichén-Itza tem ainda o local onde ocorria o jogo com bola (juego de pelota). As bolas utilizadas nos jogos eram muito pesadas e deviam ser passadas em aros altos, que ainda hoje estão bem conservados. Dá para ver um pouco do jogo com bola no show final do parque Xcaret.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Local do jogo com bolas. Imagem: Tijolos & Tecidos.

Existem ainda várias outras ruínas preservadas em Chichén-Itza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Praça das Mil Colunas. Imagens: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Templo dos Guerreiros. Imagem: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Muro das Caveiras. Imagem: Tijolos & Tecidos.

O passeio é imperdível pra quem vai viajar pra região de Cancun!

COMPRINHAS – ARTESANATOS

De toda a viagem foi o melhor lugar para compra de artesanatos devido à grande variedade e preços baixos. Vejam o que tem para vender lá e as coisas que eu comprei:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Muitas louças lindas, bem coloridas. O único problema delas é o peso. Imagens: Tijolos & Tecidos.

TeT_11_prato_calendario_maia_chichen_itza

Prato lindo que eu comprei com o desenho de um calendário maia. Custou 300 pesos (o preço inicial era 400 pesos, acho). Imagem: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Caveirinhas típicas mexicanas. Imagem: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Artesanato em madeira. Imagem: Tijolos & Tecidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Redes e mantas. Imagem: Tijolos & Tecidos.

TeT_15_bata_mexicana_chichen_itza

Bata mexicana liiinda que eu comprei pra mim. Paguei 200 pesos (o preço inicial era 300 pesos) (1). Vestidinho fofo mexicano que eu comprei para a minha priminha. Paguei só 100 pesos (o preço inicial era 130 pesos). Me arrependi de não ter comprado mais, porque depois não encontrei mais barato (2). Imagens: Tijolos & Tecidos.

Os preços são bem negociáveis… eu normalmente chorava um pouco, mas não insistia muito, porque já achava os preços bons.

ÁGUA E CHAPÉU

Faz muito, muitocalor mesmo em Chichén Itzá e quase não tem árvore para aproveitar a sombra. Não se esqueça de levar água (eu só vi água para vender na entrada do parque), usar protetor solar e chapéu. Sapato confortável também é bom. Eu fui de Havaianas por causa do calor e foi bem tranquilo.

ALMOÇO

O almoço que estava incluso no nosso pacote foi bem fraquinho. Não recomendo, mas também não sei de outros restaurantes para indicar. Como disse no início do post, o almoço estava incluso num pacote que compramos, mas se fosse pagar a parte, o valor era 169 pesos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Tortilhas sendo preparadas. Imagem: Tijolos & Tecidos.

VOLTANDO E DEVOLVENDO O CARRO

Para retornar pedimos informações e voltamos pela rota sem pedágios. Como sabíamos que as excursões incluíam uma visita a um cenote, ficamos de olho para ver se encontrávamos algum pelo caminho. Vimos várias placas e até fizemos uns desvios para tentar encontrar, mas acabamos entrando nuns lugares estranhos e aí desistimos.

Chegamos em Cancun na hora do rush. Pegamos um pouco de congestionamento (acredito que) no centro de Cancun. Tivemos que pedir informações algumas vezes para chegar na Zona Hoteleira.

Só quando chegamos na Zona Hoteleira fomos procurar um posto para abastecer e não encontramos. Descobrimos que não tem posto de combustível na Zona hoteleira, então tínhamos a opção de voltar ao centro da cidade ou de pagar (mais caro, claro) a gasolina para a Álamo abastecer. Escolhemos a 2ª opção, pois estávamos bem cansados. No fim pagamos 61 dólares pela gasolina. E ainda teve uma pequena confusão que eles (Álamo) não queriam aceitar cartão, nem dólar e a gente não tinha pesos suficientes. Depois de insistir, até pelo fato deles não terem informado nada antes, acabaram aceitando o cartão Travel Money. Este foi o único momento da viagem toda que não quiseram aceitar dólar ou o Travel Money.

RESUMO DOS GASTOS DO DIA (os valores das comprinhas estão acima)

Aluguel carro (Voyage 1.6) na Álamo = 51 dólares
Pedágio na ida = 20 + 6 = 26 dólares
Entrada parque + almoço (por pessoa) = 32 dólares
Bebidas no almoço (4 pessoas) = 19 dólares
Gasolina (carro abastecido na Álamo) = 61 dólares

3 – Hotel em Cancun – Sistema All Inclusive

HOTEL – SISTEMA ALL INCLUSIVE

Em qual hotel ficar? Ficar ou não ficar num hotel all inclusive?

Bem, em Cancun são muuuitas opções de hotel, mas quando escolhemos um hotel pensamos num que ficasse na parte com o mar mais calmo. Tomei como base este post aqui que explica bem certinho onde o mar é mais calmo e onde é mais agitado.

E posso dizer que na frente do hotel escolhido (Riu Cancun) o mar era super calmo, com a temperatura deliciosa e extremamente azul. Da viagem inteira, o mar mais azul que eu vi foi bem na frente do hotel.

TeT_1_mar_azul_hotel_riu_cancun

Mar azul na frente do Hotel Riu Cancun. Imagem: Tijolos & Tecidos.

Eu tinha muita dúvida se ficava num hotel all inclusive ou não. Eu já conhecia como funcionava e acho que é muito prático depois de um dia cansativo de passeios. Por outro lado também é um desperdício para quem vai fazer muitos passeios e acaba não aproveitando o que o hotel tem a oferecer (isto aconteceu conosco um pouco).

De princípio eu não queria ficar no Hotel Riu Cancun, pois eu já tinha ficado num hotel da rede Riu (em Aruba) e apesar de tudo o que eles oferecem, eu acho que não é um hotel aconchegante… o hotel é muito grande, é muito gente…

Na cidade de Cancun existem três hotéis da rede Riu: o Caribe, o Palace Las Americas e o Cancun, sendo os dois últimos com melhor localização. O Riu Palace Las Americas é o superior entre eles.

No fim, acabamos optando pelo Riu Cancun mesmo, pela localização, pela indicação de outros amigos e também porque em Playa del Carmen poderíamos escolher um hotel diferente.

HOTEL RIU CANCUN

As melhores coisas que eu achei no hotel são:

• O mar na frente do hotel é bem calmo e beeem azul;

• O hotel é bem localizado para quem quer dar uma voltinha a pé à noite sem precisar pegar taxi (menos de 5 minutos andando até a Coco Bongo e outras baladas);

• No hall do hotel há várias agências de turismo que oferecem passeios e agências de aluguel de carro. É bem prático e como tem várias opções dá para negociar.

Como funcionam os restaurantes do hotel:

• Tem um restaurante principal (Don Juan) que é usado para o café da manhã, para o almoço principal e para o jantar “livre” (que não precisa de reserva);

• Tem outro restaurante que funciona no almoço e fica aberto até um pouco mais tarde que o anterior;

• O café da manhã (abre as 07:00) apresenta uma grande variedade: muuuitas frituras, pães, ovos feitos de várias formas, frutas, entre outros, mas quase não há variação entre um dia e outro. O único horário com suco natural (adoro!) era no café da manhã. Destaque para o suco que cactus, que tem um cheiro estranho e não é dos mais saborosos, mas que eu descobri ser super saudável e nutritivo;

• No restaurante “livre” para o jantar cada vez tem um noite tema e a comida varia um pouco em função deste tema. Tinha noite mexicana, espanhola, italiana, internacional… Uma das noites que eu mais gostei foi a noite espanhola;

• Para o jantar tem três restaurantes que precisam de reserva: Japonês, Steak House e Brazilian Rodizio. Os dois primeiros são à la carte e o Brazilian Rodizio é tipo um rodízio de carnes brasileiro, mas onde as carnes são servidas uma única vez numa sequência fixa. As reservas destes restaurantes podem ser feitas no hall do hotel das 08:00 as 16:00 (é bom chegar cedo para garantir). Estas reservas podem ser feitas até dois dias antes. Como tínhamos 6 noites neste hotel, jantamos uma noite em cada um destes restaurantes e as outras no restaurante “livre”.

• Tem o sport bar (acho que fica aberto 24 horas) onde você encontra frutas, sanduíches naturais, nachos e bebidas. Dá pra pegar uma frutinha para levar para um passeio fora do hotel.

TeT_2_restaurantes_hotel_riu_cancun

Café da manhã com rabanada, guacamole (sempre!), salmão, omelete e suco de cactos (1). Jantar da noite espanhola com muitos frutos do mar (2). Jantar no restaurante japonês (3). Imagens: Tijolos & Tecidos.

Os 2 kg que eu ganhei nesta viagem podem comprovar que eu comi muuuito mesmo!

Ah, e além das comidas também tinha bebidas all inclusive, inclusive dentro do quarto. Como eu não sou muito de beber, ficava sempre nas bebidas mais docinhas. Eu até que gostava das bebidas do hotel, mas depois que eu tomei uma pinã colada fora do hotel , não tinha nem como comparar, porque era muito mais gostosa.

TeT_3_bebidas_hotel_riu_cancun

Bebidas no hotel servidas na beira da piscina (1). Garrafas de bebidas no quarto (2). Imagens: Tijolos & Tecidos.

Alguém já ficou em outro hotel em Cancun para indicar???

2 – Cancun X Playa del Carmen

Quando decidimos fazer esta viagem nosso destino inicialmente era somente Cancun. Meus pais foram para lá ano passado, tenho amigos que também já foram para lá e as recomendações eram ótimas.

Quando comecei a pesquisar sobre a viagem, descobri que na região tem muito mais que Cancun, foi quando decidimos dividir a viagem entre Cancun e Playa del Carmen.

TeT_1_quintana_roo

Imagem.

Só para vocês entenderem um pouco, o México tem 31 Estados. Quintana Roo é um destes Estados e é onde ficam as cidades de Cancun, Playa del Carmen, Cozumel, Isla Mujeres, entre outras.

Eu tinha lido algumas explicações sobre as diferenças entre Cancun e Playa del Carmen e adorei esta aqui: “Cancun é salto alto e Playa del Carmen é rasteirinha”.

Em Cancun, na zona hoteleira, você encontra grandes redes de hotéis e a cidade tem um jeito mais americanizado. A zona hoteleira, como o próprio nome diz, é uma zona de hotéis. Esta zona fica entre o mar e a Lagoa Nichupté.

TeT_2_cancun_x_playa_del_carmen_1

Imagem.

Já em Playa del Carmen, além da opção de grandes hotéis, você também encontra hotéis menores e pousadas. Lá você vai encontrar estrangeiros de várias partes do mundo, principalmente europeus, muitos morando por lá.

Playa del Carmen tem a 5ª avenida, que é um calçadão (carros não passam) cheio de lojinhas, bares, restaurantes, onde todo mundo se encontra. É um clima mais agradável do que Cancun, onde as pessoas acabam passando mais tempo nos hotéis.

TeT_3_cancun_x_playa_del_carmen_2_5a_avenida

Imagem.

Adorei termos dividido a viagem desta maneira, mas se eu fosse voltar por 1 semana somente, ficaria em Playa del Carmen.

Além de Playa del Carmen ser muito mais charmosa, outra grande vantagem é que a maioria das atrações (parques, etc) ficam em ou mais próximas de Playa del Carmen. Ou seja, se você ficar hospedado em Cancun será preciso viajar pelo menos 1 hora para chegar até estes destinos.

Vejam a tabelinha que eu fiz que diz de qual cidade cada atração fica mais perto:

TeT_3a_passeios_cancun_playa_del_carmen

As atrações que tem um * foram as que eu fui.

O QUE FAZER EM CANCUN?

A principal atração de Cancun é a própria praia. Vale à pena aproveitar as águas cristalinas e com temperatura agradável do mar do Caribe.

TeT_4_mar_azul_cancun

Praia na frente do Hotel Riu Cancun. Imagem: Tijolos & Tecidos.

Outra atração pode ser também o seu próprio hotel. Se você optou por ficar hospedado em um hotel que oferece opções de lazer (piscinas e cadeiras junto ao mar), não deixe de usufruir da estrutura do seu hotel. No próximo post vou falar do hotel que ficamos em Cancun.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Uma das piscinas do Hotel Riu Cancun. Esta era a piscina mais tranquila, porque ficava longe do bar, então sempre tinha pouca gente. Imagem: Tijolos & Tecidos.

À noite vale a pena dar uma volta na região próxima a Plaza Fórum, que é onde fica a CoCo Bongo e outras baladas (The City, Hooters…). Vale à pena mesmo que você não vá frequentar nenhuma destas baladas, pois a região é bem animada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um dos barzinhos/baladas de Cancun. Imagem: Tijolos & Tecidos.

xoxo